quarta-feira, 27 de maio de 2009

Preparas uma mesa na presença...

 1073652_68367064 Salmos 23:5 - Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos.

Meus amados e queridos salvos em Cristo, em recente reportagem a Revista Fiel, o Pr. Magno Costa e também gerente editorial deixou uma riqueza inigualável sobre como o Senhor nos prepara uma mesa farta perante nossos inimigos. Ele descreve em sabias palavras o encontro marcante entre renomados filósofos e pensadores como Sócrates, Ágaton, Aristófanes, Aristodemo (discípulo de Sócrates), Alcibíades entre outros homens de peso naquela época e nosso grande irmão, um dos gigantes da teologia e da filosofia cristã, além de um dos reformistas da igreja, Aurélio Agostinho. Mais que suficiente para representar os cristãos em tal reunião, Agostinho revela-se alguém que notavelmente sabia quem 'É' e continua 'Sendo', e sempre 'Será' o nosso 'Deus Altíssimo'. Logo ao entrar pela porta, um dos filósofos pergunta claramente a Agostinho se ele também estava ali para beber em honra a Dionísio (ou Baco), o deus do vinho e da embriaguês. Na mesma hora, Agostinho dá uma resposta digna de um crente fiel em busca do Deus que criou os céus e a terra:

"Quando eu busco a meu Deus, não busco forma de corpo, nem formosura transitória, nem brancura de luz, nem melodia de canto, nem perfume de flores, nem ungüentos aromáticos, nem mel, nem maná deleitável ao paladar, nem outra coisa que possa ser tocada ou abraçada. Nada disso busco, quando busco a meu Deus. Porém, acima de tudo isso, quando busco a meu Deus, busco uma Luz sobre toda luz, que os olhos não vêem; e uma Voz sobre toda voz, que os ouvidos não ouvem; e um Perfume sobre todo perfume, que o nariz não sente; e uma Doçura sobre toda doçura, que o paladar não conhece; e um Abraço sobre todos os abraços, que o tato não alcança. Porque esta Luz resplandece onde não há lugar, e esta Voz soa onde o ar não a leva, e este Perfume é sentido onde o vento não derrama, e este Sabor deleita onde não há paladar, e este Abraço é recebido onde NUNCA será desfeito."

Fica evidente para todos nós que Agostinho senta-se a mesa pagã para higienizar, moralizar e cristianizar o ambiente com a presença de Deus. Que nós venhamos sempre fazer a diferença como Agostinho, ainda mais se for a uma mesa na presença de nossos inimigos.

A Paz do Cristo seja com todos!

Nenhum comentário: