segunda-feira, 16 de maio de 2011

"Verdadeiro Avivamento"


Habacuque 3:2 - Ouvi, SENHOR, a tua palavra, e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida;
na tua ira lembra-te da misericórdia.

Queridos em Cristo, a todo momento ouvimos comentários, rumores e declarações sobre 'avivamento', mas precisamos entender o que é, e quando ocorre um 'verdadeiro avivamento' no meio do povo de Deus.
Podemos começar desta maneira:
O significado bíblico do termo "Avivamento":
No Antigo Testamento o verbo hebraico hyh (avivar) tem o significado primário de 'preservar' ou 'manter vivo'. Porém, avivar não significa somente preservar ou manter vivo, mas também purificar, corrigir e livrar do mal. Esta é uma consequência natural toda vez que Deus aviva os seus. Na história de cada avivamento, dentro ou fora da Bíblia, lemos que Deus purifica, livra do mal e do pecado, tira a escória e as coisas que estavam impedindo do seu propósito.
O verbo "avivar", em suas várias formas, é usado mais de 250 vezes no Antigo Testamento, das quais 55 vezes estão num grau chamado piel; um verbo que expressa uma ação ativa intensiva no hebraico. Neste sentido, o avivamento é sempre indicado como uma obra ativa e intensiva de Deus.
No Novo Testamento encontramos no grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. São elas: 'egeíro, 'anastáso, 'anázoe e 'anakaínoo. Outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos (cf. 'anazopyréo em 2 Tm 1.6) ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente" (cf. 'anaphállo em Fp 4.10). No grego as palavras supracitadas aparecem, no contexto de avivamento, apenas sete vezes, embora a idéia básica de avivamento seja sugerida com mais freqüência. Uma possível explicação para o uso escasso dos termos, em comparação ao Antigo Testamento, é que o Novo cobre apenas uma geração, durante a qual a Igreja Cristã desfrutou, na maior parte do tempo, um grau incomum de vida espiritual.
Agora sejamos francos! Olhe para as nossas igrejas, salvo algumas pequenas exceções. Não se prega mais 'arrependimento', não se combate mais o 'pecado', a leitura e a meditação nas Escrituras foram trocados pelas mensagens de auto-ajuda e o famoso 'receba', a adoração foi substituída pela cantoria de letras e canções que só saem da boca para fora, e os púlpitos transformados em palcos e shows gospel.
Quando olho para a Bíblia e vejo o profeta menor Joel sendo usado como boca de Deus, para falar com o povo, vejo uma promessa indubitável de restauração, restituição e avivamento: Joel 2:19 ao 29. Mas quando examinamos o contexto da mensagem de Joel, vemos no início do mesmo capítulo que ele convoca o povo a 'tocar as trombetas' e anunciar os juízo vindouro, e no verso 13 ele chama o povo ao arrependimento de suas transgressões e a se converterem novamente ao Senhor; 'Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal (Joel 2:12 e 13).
Sejamos realistas e honestos com nós mesmo amados! Não existe 'avivamento' se não tiver 'arrependimento genuíno' e 'conversão sincera' diante de Deus.
Antes da vinda do Salvador, João Batista já exercia seu ministério que tinha como propósito o 'reavivamento'. O cenário era a uma politica corrompida, uma sociedade imoral somada a uma vida espiritual decadente e decaída. Mesmo assim ele veio preparar o cenário para a vinda de Jesus como cantava Zacarias: 'E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos; para dar ao seu povo conhecimento da salvação, Na remissão dos seus pecados; pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou; para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; a fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz (Lucas 1:76 ao 79).
As marcas do 'verdadeiro avivamento' tem algumas peculiaridades. Sua característica não é o emocionalismo, nem o barulho, mas a perseverança na Palavra centrada em Cristo; a perseverança na comunhão como um corpo bem ajustado; a perseverança na oração, pois sem oração não há avivamento. É a comunhão com Deus que desencadeia todo o processo de renovação espiritual; a dedicação a missões e até mesmo a ação social. Todas as características estão interligadas e precisam ser vividas em nossas igrejas.
Que todos nós possamos olhar ao nosso redor e identificar se realmente estamos vivendo o 'verdadeiro avivamento' que o Senhor tem para derramar sobre nós.
A Paz seja com todos e que o Espírito Santo ascenda a chama em nossos corações para nos iluminar até o verdadeiro caminho para o 'verdadeiro avivamento': o arrependimento.

Evangelista Cesar Augusto A. Tucci
Pentecostal da Bíblia
Rua Fernão Dias, 111 . Jd Centenário
São Carlos - São Paulo
Email: evangelistacesar@hotmail.com
Email: cesartucci@gmail.com

Nenhum comentário: